quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Nisei


Ela parecia
insaciável
seus lábios sugavam
cada batata como se fosse a última
sofria de uma fome
que não podia ser
suprida.

mas o preço
de cada uma das
que colocava em sua
boca
voraz
a enfurecia.

trouxe o que beber
aqui em um
aeroporto
ninguém se importa com isso

é uma realidade diferente
aquela daqueles
que fingem ser alguém
que falam falsamente
ao telefone
sobre europa, chile e argentina.

termina as suas
batatas
e se vai
com seus olhos
puchados e
insatisfeitos.

Por Felipe Couto

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Um lugar para voltar


Deitei sobre seu peito

Coberto por minha camiseta

Preta

Que cheirava a

Dois dias de trabalho

Olhando suas mãos

Com unhas pintadas

De roxo

Que começavam

A descascar

As pontas já perdiam

A cor

E deixava a cor natural

Aparecer

O meu corpo

Se esgotou

Cheirava a minerais e a paixão

O destino havia sido

Bom

Me deu um colo

Para deitar

Um que não havia

Pedido

Mas que agora era

Meu

Várias garrafas na geladeira

Sem sede por álcool

Só quis ficar deitado

Ali

Era a minha casa

Achei um lugar para voltar

De todas as bebedeiras

Do mundo a mais

Pesada

É a do amor por uma

Mulher

Que te abraça e diz “TE AMO”

E você sabe que tem

De voltar

Para os seus braços

Os velhotes da segunda

Geração romântica

Acertaram em

Algumas coisas

Agora com a minha

Mala nas costas

Volto para a terra dos homens

Que amam

Volto para minha casa

Para minha mulher

Para aquela que

Me aceitou

Mesmo sem poder

Dar nada de bom para ela

Só me aceita

E este débito não

Posso pagar...

É uma dívida perpétua

E dívidas como essas

Só se paga com a vida...

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Caçando

O que poderia acontecer daqui cinco minutos? Comecei a ler um livro sobre carneiros e publicidade, são animais interessantes, sempre comendo e fazendo os outros felizes só de olhar para eles. Só tenho negativas no meu vocabulário. E as batidas na máquina parece que pararam. Talvez tenha sonhado demais e acordei muito rápido para comer tomates no mês de dezembro. Comi todos que estavam na caixa. Tinha apenas 19 tomates. Assassinei todos. Depois disso não sou mais quem eu pensava ser. O jazz parou de tocar na minha mente.

Emilíana Torrini - Jungle Drum