domingo, 20 de fevereiro de 2011

Escrevendo

Hoje comecei a escrever um romance. Foram apenas duas falas. Mas já era um romance. Pensei em ir para casa abrir uma garrafa de vinho e continuar escrevendo. Briguei com minha mulher e acabei em um bar qualquer discutindo sobre traiçao, relacionamentos e - mais um gole de cerveja - casamento. Depois de duas doses de cachaça e umas cervejas afins, percebi que escrever um romance bebâdo e escrever um romance bebendo é o mesmo que tentar transar depois de tomar um litro de wisky e tomar um blody mary. A bebida é como um insigth de freud mas é também como as brasas de zaratrusta! Alguém tem um isqueiro na mão?

Emilíana Torrini - Jungle Drum